PROLAR - Companhia de Habitação de Ponta Grossa

Fone (42) 3222-1257

Rua Balduíno Taques, 445 - 3º piso

Ponta Grossa - Paraná - 84010-050

Acesso Restrito

Novidades

Sanepar e Prolar fazem parceria para auxiliar famílias de baixa renda

11

Força-tarefa entre as duas instituições regulariza documentação para ligações de água

 

Há pouco mais de um mês, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e a Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) estão trabalhando em parceria na cidade para regularizar a situação de famílias de baixa renda, que estão em situação irregular com os dois órgãos.

 

O coordenador de Clientes da Sanepar, Paulo Roberto Taques, explica que a parceria surgiu em paralelo à intensificação das fiscalizações para combate às fraudes em Ponta Grossa e às ações de recuperação de clientes. “Nesse trabalho, nos deparamos com muitas famílias em situação vulnerável, em loteamentos da Prolar, fazendo uso de ligações de água irregulares. Elas não conseguiam sequer fazer o cadastro na Tarifa Social ou negociar a dívida por não terem a documentação do imóvel, o que é requisito para os serviços da Sanepar”, detalha.

 

Foi então que, para auxiliar essas famílias e recuperar os clientes, a Sanepar entrou em contato com a Prolar. Juntos, os dois órgãos estão adequando a documentação para que a ligação de água seja formalizada. “Com isso, garantimos a esses moradores o acesso à água tratada, à coleta e ao tratamento de esgoto. Inibir os famosos ‘gatos’, inclusive, é uma forma de prevenir doenças de veiculação hídrica e evitar o desperdício de água”, esclarece o coordenador.

 

O presidente da Prolar, Dino Schrutt, destaca que “essa parceria da Sanepar com a Prolar é um mecanismo para regularizar as unidades de conjuntos da Prolar. Temos conseguido trazer famílias que efetivamente estão morando e auxiliá-las no uso da água com o programa de baixa renda da Sanepar”, afirma.

 

Schrutt conta que, com a fiscalização da Sanepar, a Prolar “consegue fazer o cruzamento de informações para aquelas famílias que não residem mais nos conjuntos, por motivo de venda da casa ou que foi alugada ou cedida. Muitas vezes são da própria família do titular, como filhos e netos que não conseguem regularizar a ligação na Sanepar por não ter o imóvel no nome”, reforça. Até agora, cerca de 30 famílias foram beneficiadas pela parceria.

 

Fonte:  http://site.sanepar.com.br/noticias/sanepar-e-prolar-fazem-parceria-para-auxiliar-familias-de-baixa-renda

 

Ponta Grossa lança Programa Lote de Família

programa_lote_de_familia_1

A iniciativa, apresentada em reunião com o prefeito Marcelo Rangel e diversas autoridades, deve ampliar as políticas desenvolvidas pela Prolar, além de fortalecer as estratégias da Companhia no fomento à área da habitação de interesse social em Ponta Grossa.
 
A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Companhia de Habitação de Ponta Grossa lançou, na manhã de hoje (19), o “Programa Lote de Família”. A iniciativa, apresentada em reunião com o prefeito Marcelo Rangel e diversas autoridades, deve ampliar as políticas desenvolvidas pela Prolar, além de fortalecer as estratégias da Companhia no fomento à área da habitação de interesse social em Ponta Grossa.

De acordo com o diretor-presidente da Prolar, Dino Schrutt, o projeto prevê a disponibilização de lotes com estrutura básica de construção –  base, contrapiso, banheiro, instalação hidráulica e sanitária enterrada, etc – para serem adquiridos junto à Prolar por famílias com de renda de até cinco salários-mínimos regionais e que ainda não tenham sido beneficiadas por programas habitacionais governamentais.  

“O projeto busca atingir diversas frentes que vão desde a redução do deficit habitacional do município até a criação de um processo que favoreça o crescimento da economia local e da região. Isso porque após a entrega da primeira fase,  que é de responsabilidade da Prolar, as famílias terão até 24 meses para concluir a segunda etapa da obra. E nós também participaremos disso, com o acompanhamento técnico da obra e o credenciamento de empresas para fornecer os materiais às famílias. Sendo assim, além de gerarmos a oportunidade de redução do deficit habitacional,  também geramos oportunidades de empregos não só em Ponta grossa, mas na região. A expectativa é de que com isso, possamos fomentar a criação de uma política pública contínua, com o atendimento entre 350 e 500 famílias por ano”, destaca Schrutt.

Durante a reunião, o prefeito Marcelo Rangel ressaltou a importância do projeto como ferramenta de inovação nas políticas voltadas para a habitação no município. “É uma revolução, uma iniciativa inovadora que contribuirá para o crescimento da cidade, a ocupação de vazios urbanos e a geração de renda e emprego para milhares de pessoas. Temos avançado muito nas políticas públicas da área da habitação e esse projeto vem ampliar as ferramentas disponíveis para que as famílias de Ponta Grossa realizem o sonho da casa própria”, declara Rangel.
 
O Projeto

De acordo com a Prolar, o Programa Lote de Família atualiza os dispositivos presentes na Lei Municipal 9735/2008 e tem como principais objetivos reduzir o deficit habitacional através de empreendimentos de interesse social. Poderão participar famílias com renda de até cinco salários-mínimos regionais e que ainda não tenham sido atendidas  por programas sociais habitacionais.
A iniciativa consiste basicamente na venda de lotes sociais urbanizados pela Prolar com infraestrutura  básica – construção da base de uma residência de 42,56m² de área construída, constituída de fundação, instalações hidráulicas e sanitárias enterradas, contrapiso, banheiro e a 1ª fiada em alvenaria. Após a entrega dessa estrutura, as famílias terão até 24 meses para concluir a segunda etapa da construção, que contará com acompanhamento técnico da Prolar.

 

fonte: http://pontagrossa.pr.gov.br/node/44061

Prolar articula ações integradas para o Programa Lar Acolhedor

img_7789

 

A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) realizou, na manhã de hoje (17), uma reunião com representantes da Defesa Civil da Secretaria de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP), Companhia PontaGrossense de Serviços (CPS), Departamento de Patrimônio da Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SMARH) e da Fundação de Assistência Social de Ponta Grossa (Faspg) para estabelecer um protocolo integrado de ações envolvendo o “Programa Lar Acolhedor” de aluguel social. Durante o encontro, foram discutidas medidas a serem desenvolvidas de forma preventiva pelo município, assim como os procedimentos necessários durante o atendimento de famílias que se encontram em situações de risco e onde há a necessidade de realocação para outros imóveis.

De acordo com o presidente da Prolar, Dino Schrutt, o principal objetivo da reunião é fortalecer a atuação do município no auxílio às famílias, além de estabelecer parâmetros e diretrizes para agilizar o trabalho das equipes de forma integrada e ampla. “Nossa intenção é implementar ações de forma que os trabalhos sejam realizados de forma coesa e ágil, fortalecendo o trabalho preventivo e tornando mais eficiente a atuação no momento em que as famílias mais precisam de auxílio. Além disso, também pensamos em como trabalhar nos procedimentos posteriores a esse processo, corrigindo eventuais falhas. Dessa forma, o município consegue atuar de forma global e técnica, promovendo um trabalho mais eficiente junto à comunidade”, declara Schrutt.

Lar Acolhedor
Desenvolvido pela Prolar, o Programa Lar Acolhedor concede a famílias em situação de risco – onde há necessidade de realocação -, um benefício financeiro mensal para pagamento de aluguel de imóveis a terceiros. O auxílio – atualmente de 598 reais – é destinado às famílias por até 90 dias, podendo ser prorrogável – de acordo com análise de uma equipe técnica do município – por mais 90 dias. “Essa é uma iniciativa que temos trabalhado há algum tempo e que prevê a ajuda para famílias em situação de risco causada por diversos fatores, tais como desastres naturais e acidentes onde há a necessidade de realocação do imóvel. Após a análise das condições da família e comprovada a necessidade, o município concede o benefício por um período determinado, viabilizando o auxílio para que a família possa alugar um imóvel até a resolução do problema”, explica o presidente da Prolar, Dino Schrutt.

 

fonte: http://www.pontagrossa.pr.gov.br/node/44032

 

 

Oferta de lotes comerciais

oferta_lotes_comerciais2

Prolar está com processo para venda de lotes comerciais.

 

A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) está com de oferta de 31 lotes comerciais/residenciais em dois editais. Os lotes estão localizados nos conjuntos habitacionais Jardim Amália 2, Residencial Boreal, Parque dos Sábias, Jardim Aroeiras e Jardim Gralha Azul. Os terrenos possuem área entre 250 e 2.540 m². As ofertas de compra podem ser encaminhadas para a Prolar até as 17 h do dia 30 de abril.
Os lotes podem ser adquiridos por qualquer cidadão – pessoa física ou jurídica – desde que atendam aos critérios estabelecidos em edital. Os valores dos terrenos variam entre cerca de 47 e 206 mil. “Estamos oferecendo essas áreas com o intuito de fomentar o comércio nesses conjuntos habitacionais, promovendo o crescimento da região e o acesso facilitado da população a produtos e serviços. Além disso, todo o dinheiro arrecado é revertido para a manutenção dos nossos projetos sociais voltados à comunidade”, declara Dino Schrutt.

Para acessar os editais e obter mais informações clique aqui.

Prolar defende retomada de Programas Habitacionais

WhatsApp Image 2019-01-18 at 13.10.08

Em audiência com o ministro do Desenvolvimento Social, presidente da Prolar, Dino Schrutt, ressalta necessidade de novos empreendimentos
 
A Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC) e o Fórum Nacional de Secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano (FNSHDU) cumpriu agenda em Brasília esta semana junto ao Ministério do Desenvolvimento Social. A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) esteve presente representada pelo presidente da Prolar e vice presidente da ABC, Dino Schrutt, e o diretor financeiro, Deloir Junior. A diretoria da ABC participou de audiência com o ministro do Desenvolvimento Social, Gustavo Canuto, e toda a equipe da Secretaria Nacional de Habitação para tratar das novas diretrizes dos programas habitacionais.
 
Entre os assuntos na pauta da audiência estava a retomada de obras paralisadas do Programa Minha Casa Minha Vida em todo o país e do fluxo de investimento para atender a população com renda mensal de até R$ 1.800, entre outros. “Além da audiência, realizamos também a primeira reunião do ano da diretoria da ABC, com uma pauta extensa de trabalho, onde tratamos das novas diretrizes para a habitação de interesse social em 2019 e um balanço sobre a transição de um novo governo federal com uma nova política habitacional”, destacou Schrutt.

 

O presidente da Prolar também ressaltou a necessidade de retomada dos programas habitacionais em âmbito nacional. “Desde o início de novembro de 2018 o Governo Federal suspendeu todas as contrações de novos empreendimentos em nosso país, mas existe uma grande demanda em diversos municípios nesse sentido que precisamos encontrar formas de atender”, frisou Schrutt.

 

Também estiverem presentes na audiência o secretário nacional de Habitação, Celso Matsuda; a secretária de Habitação do Mato Grosso do Sul e Presidente da ABC, Maria do Carmo Avesani; o presidente da Cohab Santos; secretária de Habitação do Amazonas; presidente da Agência Estadual de Habitação de Goiás; presidente da Cohab São Paulo; secretário executivo da ABC; secretário estadual de Habitação do Maranhão; e outras autoridades.

 

 

Fonte: http://www.pontagrossa.pr.gov.br/node/42373